quinta-feira, 1 de março de 2012

Vitórias e Derrotas

A cada dia que passa, descubro mais um pedaço deste projeto de ser mãe. 

Hoje tive uma vitória e uma derrota pessoal. Concorri a uma vaga para professora subtituta da Universidade. Sei que meu currículo é fraco e que acabei me afastando do universo acadêmico. Mas também sei que sou uma boa professora. Principalmente por ser apaixonada pelo que faço. Acabei ficando naquela espectativa... sabendo que provavelmente a vaga não seria minha, mas com aquele frio na barriga de última esperança. 

Primeiro desabafei com meus alunos, pela manhã, ao falar do teste, da aula prática que teria que aplicar. Soltaram um "ohhhh..." bem sonoro e ficaram tristes. Brinquei dizendo que eram todos falsos e que ficassem tranquilos pois eu continuaria sendo professora. E eles caíram na risada e ficaram felizes. Isso me deixou feliz também. Sei que não sou "amada" por todos meus alunos (na verdade, alguns me "odeiam"), mas... Ninguém ama o mundo todo o tempo todo... O resultado só saiu no fim da tarde, enquanto eu estava pegando meu filho na creche.
Ao chegar na creche, o Otto estava com febre. Ele está com um resfriado muito forte, inflamação na garganta e pra ajudar, seus dentinhos superiores estão nascendo. Corri com ele pra casa pra dar um banho frio e dar os remédios. Caso ele não melhorasse, correria para o hospital. Nessa hora meu marido me liga contando que não fui aprovada no teste. Na hora, só estava pensando em meu filho, que estava fazendo choro em meu braço. Pedi  remédio e disse que talvez levaria o Otto ao hospital. Ele pediu se eu estava triste e quis me consolar. Falei que estava tudo bem. Só queria cuidar dele.

Claro que depois da febre baixar e o sono chegou, chorei sozinha no quarto. Eu estava um pouco chateada. Mas não pelo teste. Estava pensando no rumo que minha vida tomou e em todos os sonhos que deixei pra trás. Nos sonhos que acreditava estarem próximos, mas que estão mais longe do que eu imaginava. No mesmo segundo, pensei em toda a felicidade que meu filho já me deu e em como essas escolhas teriam valido a pena por ele. Somente por ele.

Talvez eu me arrependa de tudo, ou de muitas coisas. Talvez não consiga realizar meus sonhos (nenhum até agora foi atingido e só fui levada pelas marés...) Mas sei que existe uma coisa que me faz esquecer todo o resto: Meu filho. 

Nunca achei que ser mãe pudesse ser tão clichê... Mas é um amor que cresce tanto a cada dia, que eu desistiria da minha vida para entregar a ele.

Descobri hoje que meu sonho é ver meu filho crescer até minha velhice chegar. Só quero que ele tenha orgulho dessa mãe professorinha. Enquanto isso, continuo em sala de aula. Fazendo o melhor que posso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Falando nisso... deixe seu comentário: