quarta-feira, 26 de outubro de 2011

PEQUENOS GESTOS




Pensei que ao me mudar para o Litoral conseguiria fugir do “tipico comportamento curitibano”, mas estava enganada. Não me levem a mal, mas Curitiba, talvez pelo clima ou pelo estilo de vida, não tem a população mais carismática e mais bem humorada do país. Muitas vezes entrei em estabelecimentos (farmácia, mercado, lojas, ônibus, etc...) e me deparei com pessoas que parecem não gostar da vida e ao invés de te perguntarem “Pois não? Posso ajudar?”, jogam na cara um “que que você quer?”. O problema é que isso parece estar se espalhando pelo mundo.

Mesmo aqui no litoral, onde as pessoas deveriam ser “menos estressadas”, encontro gente com a cara amarrada, como se estivesse fazendo um favor ao me atender! Como se fosse um sacrifício sair de casa para trabalhar! Onde está a cordialidade e a gentileza???

Outra coisa que está no ar é a falta de PROFISSIONAIS CAPACITADOS. Ando escutando com frequência que não se acha mais bons médicos, bons pedreiros, bom isso ou aquilo. Mas, falta apenas o diploma? Não. Falta a paixão. A gente deve fazer aquilo que ama (ou que gosta, no mínimo).

A maioria das pessoas que está lendo este texto teve a oportunidade de ESCOLHER sua profissão. E aqueles que não escolheram diretamente puderam recusar alguns empregos que não eram de seu agrado. Se você trabalha em algo que escolheu, porque tanto mau humor e tanta falta de profissionalismo? Sei que todos temos direito a um “dia de cão” de vez em quando. Mas isso não dá direito a descontar seu mau humor nos outros. Se o trabalho é inevitável, faça o possível para que ele seja suportável. Mas o ideal é descobrir algo que você realmente goste ou ame.
Sou professora. Apesar do salario, do stress, da falta de condições, da crise na educação, continuo apaixonada pelo que faço. De verdade. Tanto que a ideia do blog surgiu por causa de meus alunos. Também tenho meus dias de cara amarrada, mas gosto de entrar na sala de aula com um sorriso e um bom dia. Gosto de saber que esto ali fazendo o meu melhor e porque eu gosto.

Será que dói muito pra atendente da panificadora te tratar com educação, pra cozinheira do restaurante cozinhar com paixão, pro motorista do ônibus dirigir com paciência, pro advogado defender com justiça, o juiz julgar com imparcialidade.... e ao político, caberia apenas ser honesto...

Pequenos gestos, não? Mas faria toda a diferença!
Ah... não fique tentando ser o melhor... seja bom naquilo que faz. Já é o suficiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Falando nisso... deixe seu comentário: