terça-feira, 23 de agosto de 2011

Como ajudar pessoas - AJUDE uma criança a fazer a lição de casa...

  
      
  Li alguns blogs na semana passada,  que tratavam sobre esse tema, do intituto Unibanco. Este selo deveria estar em todos as escolas, casas, postes, muros.... PORQUE ESTUDAR VALE A PENA SIM! Mas só me inspirei a escrever sobre o tema hoje, ao ver o noticiário sobre as sete crianças que fizeram um arrastão num hotel. Ao serem detidas elas simplesmente D-E-S-T-R-U-Í-R-A-M o conselho tutelar, agrediram os policiais e soltaram palavrões que nem eu conhecia.
    Me perguntei se elas não teríam pais, escola, amigos... sei lá. A pedagoga da reportagem respondeu as minhas perguntas: "a rua é muito mais interessante. lá elas tem a lei do tudo pode". Na verdade, as crianças de hoje podem tudo em qualquer lugar. Em casa, na escola e na rua. Mas o que faltou para elas para que chegassem a esse extremo? A culpa é da mãe? A culpa é da escola que não é atraente para tais crianças? A culpa é da sociedade? Não sou socióloga, psicóloga e nem a mãe de todos para tentar resolver essas questões. Mas sei falar do que me cerca.
  Sou filha. E a coisa mais importante que meu pai disse e ensinou foi: “a herança mais importante que quero dar aos meus filhos é o 'conhecimento', porque esse ninguém pode tirar de vocês”. Frase semelhante aparece no filme O conde de MonteCristo, sinal de que a ideia está certa. Nunca fui a aluna nota 10 (longe disso...) mas aprendi a gostar de estudar. Cheguei ao ensino médio e minha mãe chorou porque não teve a oportunidade de terminar a oitava série. Passei no vestibular, me formei e continuei estudando, fazendo uma pós. Agora estou me preparando para o mestrado. Meu pai sorri e não esconde os olhos cheios d'água dizendo que eu estou onde ele gostaria de estar.
   Quero transmitir isso pra meu filho. Quero que ele estude, leia livros, viaje, tenha conhecimento. Mas não apenas na escola, mas que saiba aprender com a vida e com seus erros. E principalmente, que se apaixone pelo conhecimento, por uma profissão. E que ame aquilo que faz, assim como eu.
O que me faz pensar. Como professora. Acredito na educação. A escola pública está caótica? Sim. Mas a sociedade também está. Adianta fugir para as escolas particulares? Não quero ver meus alunos como clientes. E é isso que vi acontecer em muitas escolas da rede particular. Mesmo com o baixo salário, isso não é motivo para descontar minhas frustrações nos alunos. Mesmo com a crise na educação, isso não é motivo para não querer fazer a minha parte. Não quero meus alunos apenas reproduzindo conhecimento. Quero que eles pensem, sintam, façam, vivam.
   Estudar vale a pena.
   Sozinha, eu, professora, faço a minha parte. Mas não posso fazer tudo. Falta um pedaço: A família ou Um porto seguro para a criança. Uma atitude simples já pode fazer muita diferença:
    • AJUDE UMA CRIANÇA A FAZER O DEVER DE CASA. Pode ser seu filho, seu vizinho, seu sobrinho... incentive, elogie, sente-se e ajude, se interesse pelo que acontece na escola, pelos livros e cadernos e até pelo que os professores estão fazendo.
Pode parecer pouco, mas faz toda a diferença. E não e esqueça de cobrar. A criança, o professor e a escola. A "omissão" é a oficina do diabo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Falando nisso... deixe seu comentário: